domingo, 31 de outubro de 2010

Tricks or treats - travessuras ou gostosuras

O dia das Bruxas surgiu há dois mil anos, quando povos celtas festejavam o fim do verão, o início do Ano novo e as fartas colheitas. Sua comemoração original chamava-se SAMHAIN, também conhecida como o dia das Almas, pois acreditava-se que na noite de 31 de outubro acontecia o encontro entre o mundo espiritual e material.

No mundo moderno, o Halloween surgiu no século XIX, quando irlandeses implantaram a festa nos Estados Unidos. A data virou uma tradicional festa infantil na qual crianças se fantasiam e pedem doces de casa em casa, dizendo “tricks or treats” – travessuras ou gostosuras. A animação é tanta que dia 31 de outubro éferiado nos Estados Unidos.

Algumas crianças na Inglaterra não festejam o Dia das Bruxas. Mas alguns dias depois, a 5 de novembro, elas se divertem no Dia de Guy Fawkes.

Guy Fawkes foi líder de uma famosa tentativa de atentado que tinha como objetivo explodir o prédio do Parlamento Inglês, em 5 de novembro de 1605.

Até hoje, naquele dia, as crianças fazem uma enorme fogueira e um espantalho representando Guy Fawkes. Na cabeça feita de nabo esculpem olhos, o nariz e a boca. Nos ouvidos e na boca, colocam bombinhas. De noite, a fogueira é acesa e as crianças gritam, pulam e soltam bombas.

O espantalho de Guy Fawkes é trazido. Elas o balançam no ar e, de repente, o atiram à fogueira. Quando as chamas chegam à boca e ao ouvido do boneco, as bombinhas explodem!

Desde tempos imemoráveis, os homens e mulheres que lidam com as forças do Universo, como magos, bruxos e feiticeiras, vêm habitando a nossa imaginação. Dos livros ao cinema, passando pelos quadrinhos e pela telavisão, a vida dessas pessoas que lidam com essas forças desconhecidas foi explorada de diversas meneiras.

A lenda do Rei Artur tem versões em “A Espada era a Lei”, “As Crônicas de Artur’ entre outros. Seriados de TV como “A Feiticeira”, “Sabrina, A Bruxa Adolescente”, “Os Feiticeiros de Waverly Place”.

No cinema, as bruxas também estão sempre em alta cotação com o público. Desde o infantil “Fantasia”, de Disney, passando por “Convenção das Bruxas”, com Angelica Houston, até o plêmico “A Bruxa de Blair” e “Da magia à sedução”, com Sandra Bullock e Nicole Kidman, o prestígio deste tema junto ao espectador é imenso.

Atualmente não se pode falar em bruxos e magos sem lembrar de Harry Potter, de J.K. Rowling. A série de sete livros, que também virou filme, conquistou milhões de fãs, de todas as idades, em todo o mundo, com a história do garotinho, que com apenas um ano derrotou o pior bruxo de todos os tempos. Rowling criou um mundo totalmente novo baseado na mitologia, que caminha para virar um clássico.

Nos desenhos animados, os bruxos também estão lá. Nos anos 70, quem deu os primeiros sinais de controlar as forças sobrenaturais foi “Sabrina”, depois “He-man” e “She-Ra”. Nos quadrinhos da DC, tem Ravena, a bruxa que reuniu pela primeira vez Os Novos Titãs, enquanto na Liga da Justiça, os vilões tremiam frente aos poderes do Senhor Destino. Na Marvel, a Feiticeira Escarlate, de OS Vingadores, não dava moleza para seus inimigos, enquanto o Senhor Estranho visitava o mundo das trevas para impedir que algo ruim saísse de lá para importunar os mortais.

De bruxas boazinhas como em Twitches – as bruxinhas gêmeas até a terrível Feiticeira Branca, de As Crônicas de Nárnia ou dividos entre eles mesmo, como em “Harry Potter”, os bruxos e bruxas têm atraído sempre a atenção.

Referências

www.google.com.br

O Mundo da Criança Vol. 8 Festas e Costumes

Colbert, David. O Mundo Mágico de Harry Potter, Sextante 2001

SCI-Fi NEWS. Edição 82. Dezembro de 2004

Fotos:

disneychannelbr.blogs.sapo.pt

http://pt-br.icarly.wikia.com/wiki/IScream_on_Halloween

eduardoborges1.blogspot.com

sexta-feira, 29 de outubro de 2010

iCarly fanfic 6 2ª temporada

Olá, gatinhos e gatinhas! Mais uma fic; espero que gostem! Muito , muito obrigada pelo apoio e incentivo - mais de 3000 visitas, estou muito feliz!!! Vocês são demais!!!
Obrigada a todos pelos comentários no poema "Seddie" - fico feliz que tenham gostado!!! Obrigada, Samya, por ler minhas fanfics, comente mais vezes :)


*DIREITOS DE iCarly RESERVADOS A DAN SCHNEIDER E A NICKELODEON

***TCH@U, FREDDIE***

ESTÚDIO DO iC@RLY

– E quando você vai? – perguntou Carly a Freddie.

– No fim de semana.

– O quê!? Por que não me contou antes?

– Não queria falar, pra não tornar isso mais difícil... não fala pra Sam.

– Você só vai embora por que terminou com ela?

– Não vou embora. É só um mês. Eu percebi que não poderia perder essa chance de novo.

– Você vai dizer a ela quando? No dia da viagem?

– Não sei, mas eu tenho que dizer.

– E, aí, Carly? – disse Sam, entrando no estúdio. – E, aí, Nerd Benson?

– Oi, Sam – disseram os dois.

– Nossa, que animação – disse Sam, irõnica.

N@ S@L@ DO @P@RT@MENTO

Spencer estava com um monte de latinhas de refrigerante espalhadas pela sala.

– O que vai fazer? – perguntou Carly, enquanto ela, Sam e Freddie tomavam sorvete, na cozinha.

– Não faço ideia – disse Spencer.

– E pra que as latas? – perguntou Sam.

– Fui até o depósito do Meião e elas estavam lá, então achei que poderia ter uma ideia boa para uma escultura.

– Sabe quem encontrei semana passada e perguntou por você? – perguntou Carly.

– Quem?

– A Verônica.

– E você não me disse nada!?

– Esqueci. Mas você não terminou com ela? Por que ficou tão aborrecido por eu não ter falado?

– Não chegamos a terminar formalmente. Apenas nos afastamos.

– Liga pra ela – disse Sam. – Não perca a chance de ser feliz.

Spencer pegou o celular e ligou para Verônica.

– “Não perca a chance de ser feliz”!? – disse Freddie, olhando para Sam. – Desde quando é tão romântica?

– Ah, só tô tentando ajudar um amigo! – disse Sam, aborrecida.

NO COLÉGIO

– Oi, Sam – disse alguém, enquanto a garota colocava os livros no armário. Ela virou-se.

– Jonah? O que você quer? – perguntou Sam, aborrecida.

– Nada. É só que eu soube o que aconteceu.

– O quê?

– Você tava namorando o Freddie Benson e ele traiu você com a Carly.

– O que você tem com isso?

– Não acho legal o que ele fez. Você é uma garota tão legal.

– Vê se me erra, Jonah – Sam ia saindo.

– Aposto que não se vingou dele e adoraria fazer isso. – Sam parou e olhou para ele. – Aceita ir comigo ao Shake da Hora hoje?

– Não.

– Se quiser conversar vou lá hoje. – Sam saiu.

NO SH@KE D@ HOR@

Sam entrou na lanchonete, mas não tinha certeza se deveria estar ali, afinal Jonah não era digno de confiança.

– Ah, você veio – disse Jonah ao vê-la.

– Não, tô em casa – Sam sentou-se.

– Sabe, Sam, eu me arrependi de ter usado você pra ficar com a Carly. – Ele segurou a mão dela. – Sério mesmo. Você é uma garota legal. É uma pena eu ter percebido isso só depois de te perder.

– Por que tá me dizendo isso agora? – Sam puxou a mão.

– Eu percebi isso há um tempo, mas você tava com o Benson, então eu achei melhor não me aproximar.

– O Benson também é um traidor! Não se pode confiar em ninguém.

– Se quiser, eu posso te ajudar a dar um lição no Benson. Só pregar uma peça, nada demais – disse Jonah.

NO COLÉGIO

– Tudo certo, Sam – disse Jonah, quando passou por ela e Carly, no corredor. Freddie estava doente e foi embora mais cedo.

– O que ele quis dizer? – perguntou Carly.

– Nada.

– Não acredito que tá falando com ele depois...

– Ah, deixei meu celular na sala. Esperaí – disse Sam e voltou. Quando chegou à porta, viu, pelo vidro, Wendy e Jonah conversando. Abaixou-se e entreabriu a porta.

– Ela caiu direitinho – disse Jonah.

– Disse a Carly o que a Sam pretendia fazer, mas ela não acreditou – disse Wendy.

– A sam vai acabar se entregando quando souber o que eu fiz. Édemais poder me vingar dos idiotas do iCarly.

– E o Freddie vai se arrepender por ter me chutado – disse Wendy, com rancor. Sam entrou na sala e deu um soco em Jonah.

– Seu idiota! – disse Sam e pegou Wendy pelo cabelo.

– Sam! – disse Carly, entrando na sala. Conseguiu separar as duas.

– O que você fa, idiota? – perguntou Sam a Jonah.

– Talvez a bomb não seja de mentira. – Sam pegou seu celular na carteira de Wendy e saiu correndo. Carly foi atrás dela.

@P@RT@MENTO DE FREDDIE

No caminho, Sam contou tudo a Carly, sobre a peça que ela pretendia pregar em Freddie, com a ajuda de Jonah.

– Não acredito que fez isso – disse Carly, tocando a companhia. A sra. Benson abriu. Freddie estava sentado no sofá, com uma caixa na mão. Sam entrou no apartamento, pegou a caixa e abriu. Dentro havia um dispositivo retangular com um relógio, marcando vinte segundos. Sam começou a puxar os fios. Wendy e Jonah chegaram ao apartamento. O cronômetro zerou e a bomba explodiu em confetes no rosto de Sam. Wendy e Jonah caíram na gargalhada.

– Que sujeira na minha sala – disse a sra. Benson, aborrecida.

– Vou acabar com vocês – disse Sam, patindo para cima deles. Carly e Freddie a seguraram.

– Ah, você acreditou? – disse Wendy, rindo.

– Foi tudo armado – disse Jonah. – Pra você voltar pra sala. A Wendy pegou seu celular.

– Conseguimos nos vingar dos três. Quero ver se depois dessa, a Carly e o Freddie vão querer você como amiga – disse Wendy.

– Sai daqui – disse Carly, empurrando os dois para fora e fechando a porta.

– O que aconteceu? – perguntou Freddie, confuso.

ESTÍDIO DO iC@RLY

– Desculpa, gente, de verdade – disse Sam. Os três estavam sentados nos pufes. – Eu não deveria ter confiado no Jonah.

– Esquece, Sam – disse Carly.

– Você tá, Benson? – perguntou Sam.

– Tô. Acho que foi só um resfriado – respondeu Freddie. – Tudo bem, Sam. Eu não tô acusando você de nada. Aqueles idiotas se aproveitaram da sua raiva... Eu já vou. Falta muita coisa pra colocar na mala – ele levantou-se.

– Mala? – perguntou Sam. – Vai viajar?

– Vou.

– Por um mês – disse Carly.

– Quê!? – falou Sam, levantando-se.

– Carly! – disse Freddie. – Ahn, eu ia te contar, Sam... É que... eu fui chamado pra fazer o intercâmbio na Austrália e eu vou... é só um mês.

– E quando você vai? – perguntou Sam.

– Amanhã... – Eles ficaram em silêncio. – Preciso ir agora – disse Freddie, por fim e saiu.

– Também já vou – disse Sam e e saiu. Carly foi atrás dela.

– Sam – chamou Carly, quando a garota chegou à porta da sala. – Se precisar conversar, tô aqui.

– Valeu – a garota saiu.

– O que foi? – perguntou Spencer, sentado ao balcão da cozinha, com o queixo apoiado nas mãos.

– A Sam descobriu sobre a viagem do Freddie. – Carly sentou-se ao balcão. – E, aí, você e a Verônica?

– Ela tá namorando.

– E a escultura?

– Sem inspiração.

@P@RT@MENTO DE FREDDIE

Carly tocou a campanhia e Fredie veio atender.

– Tá quase na hora de você ir, né? – perguntou Carly.

– É...

– Boa viagem – disse Carly, abraçando Freddie. – Vamos sentir saudades.

– Eu também. Cadê a Sam?

– Ela disse que não quer se despedir.

– Sabe onde els tá?

– Não.

– Mãe, temos quanto tempo?

– Quarente minutos – disse a sra. Benson, verificando as malas.

– Ótimo – Freddie e Carly saíram e ele fechou a porta.

ESC@D@ D@ S@ÍD@ DE EMERGÊNCI@

– Oi, Puckett – disse Fredie. Sam estava sentada na mureta. Ele sentou-se ao lado dela.

– Não tá na hora do seu voo?

– Daqui a pouco. Mas não poderia ir sem falar com você. – Ele pegou na mão dela e olhou-a nos olhos. – Eu só queria que soubesse que me arrependi muito de ter beijado a Carly.

– Ms você disse que ainda gosta dela.

– Me enganei. Eu fiquei muito mal quando percebi que não voltaria mais pra mim... Carly estava mal e quase nos beijamos, mas eu pensei imediatamente em você... eu confudi tudo. Gosto da Carly só como amiga... Tudo que eu disse aquele dia é mentira, eu tava com raiva. O tempo que passei com você foi maravilhoso.

– Não quero vá embora – disse Sam. – Se é por minha causa, eu...

– Não, Sam, não é por sua causa. Fui chamado de novo e não poderia perder uma chance dessas.

– Também não posso pedir que faça isso.

– Segundo Roger Bussy-Rabutin “a distância faz ao amor aquilo que o vento faz ao fogo: apaga o pequeno , inflama o grande”. Espero que o nosso seja o segudndo.

– Você é muito nerd – disse Sam e os dois riram. – Decorou a frase do cara... E o colégio? E o iCarly?

– O diretor Franklin me deu uma licença; quando eu voltar, vou ter aulas extras e volto nates das últimas provas.E o iCarly, acho que vocês se sairão muito bem.

– Acho que sim.

– Ahn, tenjo que ir ou vou perder o voo – disse Freddie, levantando-se. Sam levantou-se também e os dois abraçaram-se.

– Tchau, Freddie – disse Sam, ainda abraçados.

– Vou sentir saudades – disse ele, quando se afastaram. – Tchau. – Fredie saiu. Depois, Sam também saiu.

FIM

domingo, 24 de outubro de 2010

SEDDIE


Eles são diferentes
Pensam contrário
Mas o que há por trás
Quando ela chama-o de otário?

O que ela esconde
Por trás daquele sorriso maldoso?
O realmente quer dizer
Quando o chama de medroso?

Não é só um sonho
afinal houve um beijo
Talvez possa haver um "eu te amo"
na entrelinhas de um "eu te odeio"

Fazer dele um saco de pancada
Pode significar
"Ei, esquece a Carly,
estou aqui, idiota, quero ser notada"

Uma ameaça, uma reação
Fazer o jogo dela
pode ser o nascimento
de uma nova emoção

Se o sentimento
dele por Carly já
não é a mesma coisa
Por que indiretas ainda mandar?

Talvez porque é mais fácil
gostar de alguém que o trate
de forma legal
que de alguém que só o trata mal

Entre tanta briga e confusão
Entre tapas e insultos
Pode nascer uma paixão

Ela é uma bad girl
Ele é um nerd
Sam e Freddie
Seddie 4ever!

quarta-feira, 20 de outubro de 2010

Happy B-day, Mah!!!

Feliz aniversário atrasado para leitora do blog, Mah (dia 14)! Muitas felicidades, paz, saúde, amor, amizade verdadeira, sonhos realizados e beijos de brigadeiro! E obrigada pelos comentários - não sabe o quanto gosto de receber comentários de vocês. Você me deu uma ideia. Quem quiser que eu coloque o nome nos "Aniversariantes de Novembro" e mande beijos de brigadeiro, comentem e deixem o nome e a data, ok? Besos :)

quinta-feira, 14 de outubro de 2010

Opiniões, por favor!!!

Olá gatinhas e gatinhos! Eu estou escrevendo uma fanfic com os filhos de Sam, Carly e Freddie. Gostaria de saber se vocês preferem que eu comece a publicar logo ou preferem que eu publique na ordem? Há ainda a "terceira" e "quarta" temporada de fanfics que já escrevi. Comentem e falem suas opiniões. Começo logo ou não? Beijão com gosto de taco de macarrão :)

NOVA VERSÃO DA FIC "iCarly no Brasil"

Olá gatinhos e gatinhas! Eu fiz uma nova versão da fic treze da "primeira temporada" e fiz uma página só para ela, mas o campo para comentários não estava aparecendo e poucas pessoas comentaram em outra postagem. Leiam e digam o que acharam. Quem já leu e quiser comentar de novo eu ficaria muito feliz! Obrigada :)

FANFIC “iGo to Brazil – iCarly no Brasil”

© Direitos de iCarly reservados a Dan Schneider e a Nickelodeon

CENA 01 – APARTAMENTO DE CARLY

Carly, Sam e Freddie estão na sala, assistindo à TV, quando Spencer entra.

SPENCER: Oi, Carly. Oi, amigos-da-Carly-que-parecem-não-ter-casa. Maninha, vamos pro Rio de Janeiro, Brasil.

CARLY: O quê!?

SAM: Ah, legal! Onde é mesmo que fica o Brasil?

FREDDIE: América do Sul.

SAM: Ah!...E onde fica a América do Sul?

FREDDIE: Você já assistiu a uma aula de Geografia?

SAM: Não (ela vai para cozinha e pega um refrigerante na geladeira)

CARLY(enquanto isso): Por que vamos pro Brasil?

SPENCER: Vai haver uma exposição de escultores-calouros lá e eu fui convidado.

CARLY: Mas e o meu colégio?

SAM(balançando negativamente a cabeça): Ela tem a chance de faltar aula e reclama.

CARLY: E o iCarly?

SPENCER: Você não vai faltar aula. Vamos na sexta, à tarde, e segunda é feriado.

CARLY: Feriado?

SPENCER: É, do 7 de setembro.

FREDDIE: É feriado no Brasil.

SPENCER: Vocês podem fazer o show lá.

FREDDIE: É, podemos gravar as espécies nativas da Amazônia.

SPENCER: Vamos pro Rio de Janeiro.

FREDDIE: Gravamos no Cristo Redentor.

SPENCER: Então, vamos ou não?

CARLY: Você vai pagar pra Sam ir?

FREDDIE: Se ele não pagar, quem vai pagar?

SAM: A srª Benson não vai, né?

FREDDIE: Se ela não for, eu não posso ir.

SAM: Perfeito.

CARLY(antes que Freddie possa responder): É melhor ir falar com sua mãe. (Freddie sai.)


CENA 02 – APARTAMENTO DE CARLY

SPENCER(vindo do quarto): Carly, tô indo comprar as passagens de vocês.

CARLY E SAM(sentadas ao balcão da cozinha): Não!

CARLY: Vamos com você. Por...precaução.

SAM: Eu não quero precisar fazer...você sabe...num balde de novo.

CARLY: Nem quero ver minha vida passar diante dos meus olhos, sentada em caixotes.

SPENCER(pegando as chaves): Ah, a viagem ao Japão foi divertida.

CARLY E SAM(irônicas): Muito...(Eles saem.)


CENA 03 – NO CORREDOR

Spencer, Carly e Sam saem do apartamento e encontram Freddie e a srª Benson.

FREDDIE: Mãe, pra que cinco malas?

SRª BENSON(arrastando as malas): Prevenção. Não sei como é o clima do Brasil (ela fecha a porta). E tenho que levar remédios, caso você fique doente.

FREDDIE: Eu não vou ficar doente. Já tomei vacina contra todas as gripes. Até a bovina.

CARLY: Não existe gripe bovina.

SAM(baixinho): Doente é a senhora.

SRª BENSON: O quê?

SAM: Nada.

SRª BENSON: Vamos logo ou chegaremos atrasados. (Eles saem)


CENA 04

Um avião cruza o céu. Saguão do hotel. Os cinco entram e vão até o balcão.

SRª BENSON: Como eles perderam minha mala?

SPENCER: Boa noite! Você fala inglês?

SRª BENSON: Sabe, eu não pago para eles perderem minha mala.

RECEPCIONISTA: Boa noite! Falo, sim.

SRª BENSON: E, agora, o que vou fazer?

SPENCER: Tenho uma reserva. Sou um dos escultores-calouros, que vieram para exposição.

SRª BENSON: A mala com as roupas de verão. Agora só tenho casacos e calças. Aqui faz muito calor.

RECEPCIONISTA: Qual seu nome?

SRª BENSON: Marizza Benson. Você poderia...

SPENCER: Ela está falando comigo...Spencer Shay.

RECEPCIONISTA: Ah, sim, 301 e 302.(Ela passa as chaves para ele. Os quatro dirigem-se ao elevador.)

SRª BENSON: Mas... e minha mala?

SAM: Se a senhora falar dessa mala mais uma vez...

CARLY: Sam...(Eles entram no elevador)


CENA 05 – NO QUARTO DOS GAROTOS

Spencer, Carly, Sam e Freddie estão assistindo TV.

SPENCER: Vocês estão entendendo alguma coisa?

SAM, CARLY E FREDDIE: Não.

O telefone toca.

SPENCER: Alô...Sim, sou eu...O quê?...(Os três olharam para ele)...Não posso fazer uma escultura até amanhã...Ok, tchau. (Ele coloca o fone no gancho)

CARLY: O que aconteceu?

SPENCER: Perderam minha escultura.

SAM: Como perderam uma calça de três metros de altura e da largura do Rei Momo?

CARLY: Quem é o Rei Momo?

FREDDIE: Um personagem do Carnaval brasileiro.

SPENCER: Preciso fazer uma escultura até amanhã.

CARLY: É impossível.

FREDDIE: Tem alguma ideia?

SAM: Tô com fome.

SPENCER: Pão de Açúcar. (Spencer sai do quarto)

SAM: Boa ideia. Traz um pra mim.

SRª BENSON(entra empurrando um carrinho de comida): Hora do jantar.

SRª BENSON: Sempre tenho boas ideias.

SAM: Não quando decidiu ter o Freddie.

FREDDIE: Puckett, você é tão...

SAM(levanta-se): O quê?( Freddie levanta-se também)

CARLY(colocando-se entre os dois): Parem.

SRª BENSON: Você é uma garotinha bem irritante, Puckett... Olha, Freddie, pedi para tirar todos os frutos do mar.

FREDDIE: Não sou alérgico a frutos do mar, mãe.

SRª BENSON: Como sabe se nunca comeu? (Sam já está comendo vorazmente.) O que é isso, garota?

SAM(com a boca cheia): Não sei, mas é bom. (Carly e Freddie começam a se servir)


CENA 06 – QUARTO DOS GAROTOS

Sam entra no quarto de biquini e shortinho.

SAM: A srª Benson disse que não vai pra praia. A roupa de banho ficou na mala perdida. Pena que não perdemos outra mala.

CARLY(para Spencer): Você não vai, né? (Spencer está sentado no chão, com dois baldes de areia colorida e um suporte de zinco dele.)

SPENCER: Não. Tenho que terminar isso.

Freddie sai do banheiro com o nariz cheio de um creme branco.

SAM: Que isso, Frediota? O Carnaval é em fevereiro.

FREDDIE: Protetor solar. Estamos em um país tropical, o que significa que os raios solares...

SAM: Ninguém quer saber(Ela passa a mão com força no nariz dele)

FREDDIE: Meu nariz, Sam!

CARLY: Vamos logo. (Eles saem)


CENA 07 – NA PRAIA

Os três sentam-se embaixo de um guarda-sol.

CARLY: As praias do Brasil são lindas mesmo.

FREDDIE: Também acho.

SAM(imitando Freddie): Também acho.

FREDDIE: Carly, olha a Sam.

CARLY: Sam...(Sam dá um tapa em Freddie, que joga areia nela)

SAM: Meu cabelo. Eu vou te matar. (Freddie sai correndo e Sam corre atrás dele. Carly observa-os, rindo. Mais à frente Sam para e volta.)

CARLY: O que foi?

SAM: Não tá sentindo? Cheiro de comida.

CARLY: Mas você acabou de tomar café da manhã.

SAM: E daí? (Ela sai. Carly deita-se na cadeira de sol ao lado do guarda-sol)


CENA 08 - NO QUIOSQUE

Freddie está indo comprar água quando uma bola o atinge. Uma garota aproxima-se.

A GAROTA(em português): Ah, meu Deus...Desculpa.

FREDDIE(massageando a cabeça): Não falo português.

A GAROTA: Não sei falar inglês, nem jogar futebol(ela ri) Ahn...(fala em espanhol) Você fala espanhol?

FREDDIE(em espanhol): Sim.

GAROTA(em espanhol): Ótimo. Eu sou Mariza. Desculpa. Eu tô aprendendo futebol e... Você não quer saber, né?

FREDDIE(sorrindo): Sou Freddie Benson. Você tem o mesmo nome da minha mãe. E talvez eu queira saber.


CENA 09 – NO HOTEL – QUARTO DOS GAROTOS

Spencer levanta-se e contempla sua réplica de areia do Pão de Açúcar.

SPENCER: Preciso de um pedaço de linha ou fio. (Ele sai e passa para o quarto das garotas, em frente)

SRª BENSON (dentro do banheiro): Socorro! Alguém me tira daqui! (Spencer destranca a porta e puxa para o lado quando a srª Benson vem correndo e cai no chão)

SPENCER(ajudando-a a se levantar): A senhora está bem?

SRª BENSON(furiosa): Pareço bem? Não! A Sam me prendeu dentro do banheiro há meia hora! Por que não falou que ia abrir a porta?

SPENCER(rindo): A senhora ia arrombar a porta?

SRª BENSON: Não é engraçado!

SPENCER(reprime o riso): Claro que não. A senhora tem linha preta ou um pedaço de fio?

SRª BENSON: O quê?


CENA 10 – NA PRAIA

Sam passa pelas pessoas e elas riem.

SAM(pergunta para as pessoas): Tá olhando o quê? (ela encontra Carly. A amiga está toda vermelha, dormindo na cadeira de sol) Carly!

CARLY: Ahn...(Tira os óculos – está com uma marca branca ao redor dos olhos. Uma olha para a outra e gritam.)

SAM E CARLY: O que aconteceu com você?

SAM: Você tá toda vermelha.

CARLY: Seu rosto tá inchado.

SAM(passando a mão no rosto): O quê?

FREDDIE(aproximando-se): Oi, garotas...o que aconteceu com vocês?

CARLY: Vocês me deixaram sozinha aqui,eu dormi e peguei sol demais!

FREDDIE: Você tá engraçada.(Sam coloca o dedo na boca e coloca no ouvido dele) Para, Sam. Desculpa, tá?

CARLY: Vamos voltar pro hotel. (Ela levanta-se e fica tonta. Freddie segura-a, passando o braço por sua cintura. O s três vão para o hotel.)


CENA 11 – NO SAGUÃO DO HOTEL

Spencer aproxima-se de uma mulher sentada no sofá, tricotando.

SPENCER: A senhora poderia me dar um pedaço de linha preta? (Ela o ignora. Spencer vê um fio solto dentro da bolsa aberta e puxa.)

MULHER(em alemão e português): Dummkopf. Meu tricô! Demorei um mês para fazer isso! (ela pega a bolsa e bate em Spencer. Rolos de linha espalham-se pelo chão.) Saukerl.

SPENCER(sobe as escadas correndo): Desculpa. (Carly, Sam e Freddie entram no saguão.)

MULHER(indo atrás dele): Warte, Saukerl. Vou te dar uma Watschen...

CARLY: Era o Spencer?

SAM E FREDDIE: Era.

CARLY: Foi o que imaginei.


CENA 12 – NO QUARTO DOS GAROTOS

Carly, Sam e Freddie entram no quarto. Spencer está terminando a escultura.

SPENCER: Terminei! O que aconteceu com vocês?

SAM: É tudo culpa do Frediota. (Carly deita-se no sofá. Spencer vai para o lado dela.)

FREDDIE: Por quê?

SAM: Onde você tava?

SRª BENSON(entra no quarto): SAMAN... O que aconteceu com vocês? Precisam de um médico.(Ela vai para o telefone.)

FREDDIE: Eu estava conversando com uma garota que conheci. Não é culpa minha se Carly dormiu e você come demais.

SAM: Eu...

CARLY: CALEM A BOCA! Eu tô mal e vocês só ficam brigando.

SRª BENSON(coloca o fone no gancho): O médico vai demorar. Vou buscar minha mala de primeiro-socorros(Ela sai do quarto. Spencer pega o telefone.)

SAM: Não vou tomar nenhum remédio que aquela louca me der.

FREDDIE: Não chame minha mãe de louca!

SPENCER: Calem a boca!...(para pessoa do outro lado da linha) Não você...desculpa.


CENA 13 – QUARTO DOS GAROTOS

SRª BENSON: Disse que íamos precisar de remédios.

FREDDIE(rindo): E, no final, a Sam é que é alérgica a frutos do mar.

SAM: Não é engraçado, Benson!

FREDDIE: Da próxima vez pede acarajé com bastante camarão.

CARLY: Vão começar?

SPENCER: Nada de praia até domingo, viu, Carly?

CARLY: Ok. O médico disse isso.

SAM: Você deveria tomar sol para não ficar com essa marca branca na cara.

SPENCER(levantando-se): Gente, estamos atrasados para exposição.(Vai para porta.)

CARLY: Eu não vou.

SPENCER: É claro que você vai. Coloca uns óculos escuros.

SRª BENSON: De noite?

SPENCER: Vamos logo.

FREDDIE: Marizza me convidou para uma exposição de tecnologia.

SAM: Vai bancar o nerd internacionalmente?

CARLY(para Freddie): Não responde.

SPENCER(impaciente, em pé na porta): Vamos, pessoal!

SRª BENSON: Quem é Marizza?

FREDDIE: Uma garota que conheci na praia.

SAM: E acha que ela gostou de você?

CARLY(para Freddie): Não responde.

FREDDIE: Eu vou...

SPENCER(grita): TODOS PARA EXPOSIÇÃO AGORA!

SRª BENSON(calma): Não precisa gritar, Spencer.

SPENCER: AGORA! (Todos saem do quarto, rapidamente e Spencer fecha a porta. Carly entra no quarto de novo, pega os óculos escuros, no sofá e sai.)


CENA 14 – NA EXPOSIÇÃO

Carly e Sam – com um prato de salgadinhos – estão observando Spencer dar entrevistas ao lado de sua escultura. Um garoto aproxima-se.

GAROTO(em português, dirigindo-se a Carly): Oi.

SAM: Não falamos português.

GAROTO(em inglês): Oi, meu nome é Adam. Qual o seu...?

CARLY: Não.

ADAM: Você é muito bon...

CARLY: Não.

ADAM: Você gostaria...

CARLY: Não. (O garoto sai.)

SAM: Você é louca? Ele é lindo.

CARLY: Eu sei. Mas acha que ele me acharia linda se...(ela levanta os óculos)

SAM: Não. (Freddie aproxima-se.) Já voltou? E a exposição para nerds?

FREDDIE: Tava chato.

CARLY E SAM: Marizza te deu um fora.

FREDDIE: Ela tem namorado.

SAM: Normal. Você não vai conseguir namorada em lugar nenhum do mundo, Benson.

FREDDIE: Valeu, Sam. (Ela enfia uma coxinha na boca dele. Ele cospe.) O que é isso?

SAM: Não sei, mas é bom. A comida brasileira é ótima.

CARLY: Qualquer comida é ótima pra você.

SAM: É. (com a boca cheia)

FREDDIE: Cadê a minha mãe?

CARLY: Ali. (ela aponta para srª Benson conversando com um homem de terno, do outro lado da galeria.)

FREDDIE: Quem é ele?

CARLY: O dono da galeria.

SAM: Está vendo? Tá a srª Benson desencalha.

FREDDIE: Não tô vendo você com ninguém. (Ele sai. Sam joga um salgado e acerta na nuca dele. Ele olha para ela com uma careta, ela ri. Ele vai até onde a mãe está.)


CENA 15 – QUARTO DAS GAROTAS

CARLY (fechando a mala): Vou sentir saudades do Brasil.

SAM(deitada na cama): Também.

SPENCER(entrando no quarto, acompanhado por Freddie): Vamos?

SRª BENSON(coloca o fone no gancho): Agora que eles vêm avisar que acharam minha mala.

CARLY(olha o relógio): Gente, a que horas é nosso voo?

SPENCER: Três. Por que?

CARLY: Porque são três horas. (Os quatro saem desesperados do quarto, puxando as malas.)


CENA 16 – ESTÚDIO DO iCARLY

CARLY(indicando a foto no telão): Essa é uma foto do Freddie tentando surfar, na Praia do Leblon.

FREDDIE(vira a câmera para ele): Eu não sou muito bom.

SAM(vira a câmera para ela): É péssimo!

CARLY: Eu tomei sol demais e tive que ficar sob o guarda-sol o tempo todo. (Foto dela sob o guarda-sol de chapéu, óculos e o nariz cheio de protetor.) Sam, comendo acarajé, uma comida totalmente brasileira. (Foto de Sam, com um prato de acarajé.)

SAM: Muito boa. Sem camarão.

CARLY: Spencer, Sam, Freddie e até a srª Benson jogando futebol. (Foto da srª Benson caindo por cima da bola.)

SAM: Somos péssimos nisso.

FREDDIE(vira a câmera para ele): Eu fiz um gol.

SAM(virando a câmera para ela): Quem perguntou?

CARLY: Spencer com a escultura do Pão de Açúcar, que ficou na Galeria. O dono gostou tanto que comprou.(Foto. Sam aciona os efeitos sonoros de seu controle.)

SAM: Todas as fotos do iCarly no Brasil, no iCarly.com. (Freddie clica em seu notebook e um samba começa a tocar – “Samba Maluco”. Gibby entra vestido de rei Momo.)

FIM

Vocabulário alemão

Warte – espere

Saukerl – (chingamento) porco, usado para homens

Watschen – surra

Dummkopf – idiota